Prefeitura Municipal de Nova Venécia

Projeto ‘Não dê asas ao mosquito’ premia os melhores alunos de Nova Venécia

Com a participação de 41 escolas, o projeto “Não dê asas ao mosquito”, teve sua cerimônia de encerramento na última sexta-feira, durante a Feirarte, na Praça do Granito.

Foram premiados os três primeiros colocados de três categorias. No Folder (6 ao 9 ano), Edivânia Fostina, da escola de São Gonçalo, foi a campeã, seguida por Poliana Silva Pontes, do Emcor Santa Helena, e Viviane Marina Favero, da Francisco Sechin.

Na categoria Cartaz (1 ao 5 ano), Breno Bonifácio, da escola Tito Santos Neves, ficou em primeiro lugar, à frente de Beatriz Campos Mota, da Lourdes Scardini e José Lucas de Andrade Campos, de Cedrolândia.

Na categoria Desenho (Educação Infantil), os três primeiros foram Mylle de Souza Ferreira (escola Maria Caliman Lobo), Yasmin Zanon Raymundo ( escola Maria Pereira Carrasco) e Maria Vitória Schimith( escola Vera Lúcia Galvão).

O primeiro lugar de cada categoria recebeu como prêmio um tablete Android. Já o segundo ficou com uma câmara digital e o terceiro, com um kit pedagógico, composto por mochilas, pendriver e material escolar.

Para o prefeito Mário Sérgio Lubiana, o Barrigueira, iniciativas criativas como essas contribuem muito para conscientizar a população sobre os perigos da dengue e como cada um pode contribuir para combater a proliferação do mosquito. “A redução significativa dos casos da doença em Nova Venécia sinaliza que o trabalho está indo no caminho certo. Desde que assumimos, estamos empenhados em melhorar todo o serviço de saúde de Nova Venécia e o combate incansável à dengue faz parte de todo o processo. Contamos ainda com o apoio da população para nos ajudar a manter essa doença sob controle”, disse.

Colocado em prática em março deste ano, o projeto “Não dê asas ao mosquito”, apelou para a conscientização entre os moradores da cidade sobre os cuidados para evitar a proliferação do transmissor da dengue, o Aedes Aegypti. A campanha se estendeu às escolas, utilizando cada aluno como propagador em casa das recomendações recebidas em sala de aula.

Nesses três meses de projeto, foram organizados mutirões de limpeza em áreas onde havia incidência de focos do mosquito, palestras nas escolas, caminhadas de conscientização sobre a dengue e um intenso trabalho de campo dos agentes de saúde, por meio de visita domiciliar.

O projeto envolveu várias secretarias do município: Saúde, Obras, Educação, Cultura e a Cesan. O comércio da cidade também deu apoio, por meio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Paganoto Papelaria, Multivix, Sicoob Taglia-Ferre & Cia, Veneza e Zanoti Café.