Prefeitura Municipal de Nova Venécia

Saúde intensifica ações contra o mosquito aedes aegypit

 

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Nova Venécia tem reforçado suas ações no combate ao vetor da dengue, zika e chikungunya, através de intensificações de visitas domiciliares, retorno de visitas a imóveis fechados e realização de palestras nas escolas, com estudantes de todas as faixas etárias e professores, que se tornam multiplicadores do combate ao mosquito aedes aegypit em sala de aula.

Além disso, o município possui 25 agentes de saúde, que realizam visitas periódicas às residências. O trabalho de prevenção é realizado na cidade e no interior. Depois que um caso é diagnosticado, é feito o trabalho de contenção da doença com a intensificação da passagem do carro fumacê.

De janeiro a abril deste ano, foram diagnosticados 28 casos de dengue, 04 de zika vírus e 02 de chikungunya em Nova Venécia, colocando o município em 31º lugar no ranking estadual. Nos primeiros quatro meses de 2015, foram confirmados 29 casos de dengue, a maioria, do sorotipo 1. 

A municipalidade conta com a participação da sociedade veneciana para eliminar definitivamente esse inimigo pequeno, mas extremamente perigoso: “Convidamos a população a se tornar um ‘Fiscal da Dengue’. Uma vez por semana, um membro da família vai tirar dez minutinhos do seu dia para vistoriar sua casa e o quintal, eliminando possíveis focos do mosquito. Lembrando que 75% dos focos de proliferação do aedes aegypit estão dentro das casas e nos quintais, portanto, a população tem papel fundamental no combate ao mosquito”, esclareceu o secretário de Saúde, Gleikson Barbosa dos Santos.

População precisa ajudar - A melhor forma de se prevenir da dengue e do zika vírus é combater o acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor das duas doenças. Além disso, é importante que se aja comunitariamente e se converse com amigos e vizinhos sobre o tema. Por isso, todo dia é um novo momento de se combater o mosquito da dengue. É muito fácil se prevenir de doenças tão perigosas:

- Troque a água de recipientes todos os dias e lave-os uma vez por semana; 

 - Atenção aos ralos de banheiros pouco utilizados, pois podem acumular água e servir de criadouro para o mosquito; 

 - Pneus e garrafas devem ficar em local coberto; 

 - Atenção também para caixa d’água destampada, calhas e até tampinhas de garrafa; 

- Lugar de lixo é no lixo, não jogue esse tipo de material em terrenos baldios ou quintais; 

 - Limpe o quintal periodicamente.

 

Secretaria Estadual de Saúde confirma 134 casos de zika vírus -  A Secretaria de Estado da Saúde informa que foram notificados no Espírito Santo, até o momento, 3.589 casos de infecção pelo zika vírus. O Laboratório Central (Lacen) recebeu 1.299 amostras para análise e, deste total, 134 deram resultado positivo, 644 acusaram negativo e 521 estão em análise. Além dessas amostras, outras 79 estão em análise na Fiocruz, no Rio de Janeiro. 

Os municípios que apresentam casos de zika confirmados laboratorialmente são Alto Rio Novo, Aracruz, Barra de São Francisco, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Domingos Martins, Guarapari, Iconha, Irupi, Itaguaçu, Itarana, Mantenópolis, Marechal Floriano, Muniz Freire, Nova Venécia, Pinheiros, Presidente Kennedy, Santa Teresa, São José do Calçado, Serra, Viana, Vila Velha e Vitória. 

Microcefalia 

A Secretaria de Estado da Saúde informa, ainda, que entre 22 de novembro de 2015 e 30 de abril de 2016 foram notificados no Espírito Santo 134 casos de microcefalia em bebês nascidos vivos, natimortos ou em gestação. Destes, 93 permanecem em investigação, 33 foram descartados e 08 foram confirmados para microcefalia.