Prefeitura Municipal de Nova Venécia

Defesa Civil Municipal orienta população sobre o risco de enchentes

De acordo com a previsão do tempo emitida pelo Incaper, o retorno das chuvas deve acontecer já em outubro e continuar em novembro, dezembro e janeiro. A Defesa Civil da Prefeitura de Nova Venécia orienta os moradores do interior e da zona urbana a ficarem atentos, principalmente com a manutenção das barragens e represas.

Uma das orientações é que o produtor faça a limpeza dos monges e ladrões das barragens. Os ladrões devem ter estar de acordo com o projeto técnico executado. O produtor que ainda não tem ladrão nas represas, precisa construí-lo imediatamente.

Outras medidas também devem ser tomadas pelos proprietários de barragens: plantio de capim nas bordas para evitar erosão; em caso de fissura na barragem, acionar um técnico responsável o mais rápido possível; pensar no coletivo, que suas ações terão consequências para os seus vizinhos em caso de transbordamento da barragem, causando o chamado efeito dominó; com chuvas intensas procurar manter o nível da barragem estabilizado por meio dos monges.

Com medidas simples como essas, o proprietário garante a segurança da sua família e a de outras pessoas, pois um rompimento de barragem acaba levando um volume de água expressivo para córregos e rios, afetando outras famílias da zona rural e até áreas urbanas amplamente habitadas.

O papel da prefeitura é elaborar os projetos e fazer a execução da construção das barragens.

A parte de fiscalização é de responsabilidade do Idaf. O órgão esclarece que todas as barragens devem ter um projeto técnico de estabilidade do barramento. O agricultor deve procurar o Idaf para regularizar as barragens. A fiscalizaçãoé realizada principalmente das barragens dispensadas do licenciamento para observar se estão seguindo as normas técnicas do projeto estabelecido.

Inundação e deslizamentos - Outros fatores preocupantes são as áreas de risco e inundação. Moradores dessas localidades devem ficar em alerta, pois são regiões com histórico de inundação:

 - zona rural: Patrimônio do Bis, Santo Antônio do XV, São Luiz Reis, São Gonçalo, Comunidade Luzilândia, Guararema e Cedrolândia;

- zona urbana: Municipal II, Nossa Senhora de Fátima, Margareth (Rua Sergipe), Santa Luzia, Filomena (Avenida Belo Horizonte), Rua Colatina (Centro), Ernesto Aires (Centro), bairro Aeroporto e Avenidas Vitória e Beira Rio (que cortam o rio Cricaré).

Já as áreas mais propícias a deslizamentos são:

- zona rural: Boa Vista, Guararema e Cedrolândia;

- zona urbana: Municipal II, Iolanda, Bethânia, Nossa Senhora de Fátima, Altoé e São Cristóvão.

Um deslizamento nunca acontece por acaso. O solo sempre emite sinais antes de ceder. Esteja atento, se começar a aparecer fendas na terra, saia imediatamente de casa. Locais íngremes demais e com plantação de bananeiras também são propícios a desmoronar com o solo encharcado.

Qualquer dúvida ou emergência, o cidadão deve ligar para o telefone 9 9741-8218, plantão 24 horas da Defesa Civil Municipal.