Prefeitura Municipal de Nova Venécia

Campanha de Vacinação é prorrogada até o dia 9 de junho

Campanha de Vacinação é prorrogada até o dia 9 de junho

A campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe foi prorrogada até o próximo dia 9 de junho, de acordo com o Ministério da Saúde. A meta é alcançar 90% das 54,2 milhões de pessoas incluídas no público-alvo, mas, até o fim da campanha - prevista para o dia 26 de maio - apenas 63,6% haviam recebido a dose.

Meta alcançada em Nova Venécia

Em Nova Venécia a meta de vacinação foi alcançada. Ao todo, 90,83% da população foi imunizada. De acordo com o coordenador de Vigilância Epidemiológica e Imunização de Nova Venécia, Gabriel da Silva Dias, “para chegar a marca de 100%, o município teria que distribuir 9 mil doses. Até hoje, mais de 8 mil já foram distribuídas à população veneciana, que corresponde a marca recomendada pelo Ministério da Saúde. Esperamos que mais pessoas que não se vacinaram possam comparecer às unidades de saúde até o fim da prorrogação da campanha”, frisou.

No município a vacinação está acontecendo em todas as unidades de saúde, incluindo cidade e interior, que dispõem de sala de vacina.

A vacina disponibilizada pelo governo brasileiro protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial da Saúde para este ano (A-H1N1, A-H3N2 e influenza B).

A dose é segura e também é considerada uma das medidas mais eficazes na prevenção de complicações e casos graves de gripe.

Como o organismo leva em média de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe após a vacinação, o ideal, de acordo com o Ministério, é realizar a imunização antes do início do inverno. O período de maior circulação da gripe no Brasil vai do final de maio até agosto.

 

Veja quem pode receber a vacina pelo SUS

  • Crianças de 6 meses a menores que 5 anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias);
  • Gestantes
  • Puérperas (mulheres que estão no período de até 45 dias após o parto);
  • Idosos (a partir de 60 anos);
  • Profissionais da saúde;
  • Povos indígenas;
  • Pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional;
  • Portadores de doenças crônicas e outras doenças que comprometam a imunidade;
  • Professores de escolas públicas ou privadas.