Prefeitura Municipal de Nova Venécia

Sindicato Rural Patronal de Nova Venécia comemora 50 anos

Sindicato Rural Patronal de Nova Venécia comemora 50 anos

O Sindicato Rural Patronal de Nova Venécia realizou na última sexta-feira (24) uma belíssima festa para comemorar os 50 anos de fundação. A comemoração foi realizada no Recanto Familiar, no bairro São Cristóvão. Na mesma ocasião foi realizada a Assembleia de Aprovação das Contas de 2018.

A solenidade foi conduzida pelo presidente do órgão, Judas Tadeu Colombi, e prestigiada pelo prefeito de Nova Venécia, Lubiana Barrigueira, vice-prefeito Adelson Salvador e presidente da Câmara de Vereadores, Antonio Emílio. Ainda estiveram presentes o presidente do FAES, Julho da Silva Rocha, o advogado Luiz Antônio Tardin, a secretária o Sindicato, Marta Soares, o presidente eleito pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Nova Venécia e Vila Pavão, Wasley D. Cesconetto, representantes do Senar e produtores rurais associados.

Durante o evento, foram homenageados todos os ex-presidentes e atual, onde os filhos, netos e esposas parentes receberam uma placa de agradecimentos e horarias pelo trabalho prestado. Após a homenagem, foram sorteados prêmios para os associados.

“O Sindicato Patronal tem um grande papel no meio rural de fortalecimento do produtor. Hoje, além de fazermos a assembleia de prestação de contas, gostaríamos de homenagear todos os ex-presidentes que muito colaboraram para o fortalecimento da nossa classe. Passaram por aqui pessoas íntegras que sempre se dedicaram a nós, produtores”, agradeceu o atual presidente, Judas Tadeu Colombi.

Na ocasião, o prefeito Barrigueira ressaltou a importância do homem do campo na economia municipal e o projeto Campo Vivo de fortalecimento do turismo regional. “Nossa maior economia hoje é o campo. A atividade rural é o viés que impulsiona o nosso município. Nós lançamos o projeto ‘Campo Vivo’ recentemente e estamos fomentando o turismo no meio rural. É mais uma fonte de renda para nossos produtores. Nossas ações no meio rural não param. São recuperação de estradas, construção de barragens, entrega de implementos agrícolas em associações, e uma série de outros investimentos. Se o campo vai forte, a cidade também vai”, destacou.